O acordo de cooperação técnica entre o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf) e a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril de Rondônia (Idaron) prevê a promoção de um calendário de reuniões periódicas, treinamentos e capacitações conjuntas, incluindo profissionais do Amazonas, bem como ações de fiscalização e inspeção fronteiriças integradas, entre outras atividades.

Durante os dois dias de encontro, as instituições de defesa agropecuária debateram a reformulação integrada do Sistema Veterinário Oficial (SVO), trataram sobre Plano Estratégico para Reestruturação do Programa Nacional da Febre Aftosa (PNEFA), com foco na transição para área livre da enfermidade sem vacinação, atividades de educação sanitária e compartilharam resultados e desafios dos serviços de atenção veterinária, nas duas regiões.

Segundo Anselmo de Jesus, presidente do Idaron, a parceria fortalece as instituições e a política de sanidade animal da região Norte. “Quando o Brasil busca esse status sem vacinação, sabe que isso não é coisa de um estado só e essa parceria nos dá segurança, até porque temos aí pela frente uma auditória do Mapa, mas com certeza sairemos preparados para dar grandes respostas para o Ministério da Agricultura”, salientou.

Instituições traçaram um plano de ações conjuntas (Foto: Maria Meirelles/Secom)

Anselmo destacou ainda que, apesar de o país ter sofrido uma crise na cadeia de proteína animal, novas indústrias já se instalam na região devido à indicação das federações a zona livre de aftosa sem vacinação – o maior status sanitário, relacionado à enfermidade.

Ronaldo Queiróz, diretor-presidente do Idaf, complementa que a indicação demonstra o compromisso do governo do Estado com a política sanidade animal. “Isso é resultado de um trabalho de excelência, realizado entre os dois estados. Vale salientar que essa parceria já vem desde a conquista de zona livre com vacinação, contribuindo com o desenvolvimento da nossa economia”, disse.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA